Dra. Luiza Guerra

Bruxismo

O bruxismo pode ser definido como uma atividade parafuncional caracterizada pelo ato inconsciente de apertar ou ranger os dentes constantemente. Como consequência dessa situação, é possível que o paciente que sofre com o bruxismo tenha dor nas articulações da mandíbula, dentes desgastados e/ou dor de cabeça ao acordar.

O bruxismo pode acontecer devido a fatores psicológicos, como estresse e ansiedade, ou estar relacionado com fatores genéticos e respiratórios. Dessa forma, é importante que a causa do bruxismo seja identificada para que o tratamento seja mais eficaz.

1. O que é o bruxismo?

Como mencionado, o bruxismo consiste em uma desordem funcional que se caracteriza pelo ato de ranger ou apertar dos dentes, podendo acometer pessoas de todas as idades. Essa atividade é realizada pelos músculos da mastigação e pode trazer diversas consequências para o paciente, como lesões orofaciais, desgastes dentários, lesão periodontal, problemas ósseos, distúrbios da articulação temporomandibular (ATM) e/ou dor muscular.

2. Quais são os tipos de bruxismo?

Há dois tipos de bruxismo, quais sejam:

a. Bruxismo diurno:

O bruxismo diurno, também chamado de bruxismo em vigília, acontece quando o indivíduo se encontra acordado. Nesse caso, geralmente não ocorre o ranger de dentes, mas o apertamento dos dentes superiores nos inferiores e está relacionado a um hábito. O bruxismo diurno ocorre especialmente em momentos de estresse, tensão e até mesmo de concentração.

b. Bruxismo notuno:

O bruxismo noturno ou bruxismo do sono consiste na atividade inconsciente de ranger ou apertar os dentes, com produção de sons, enquanto o indivíduo encontra-se dormindo.

3. Quais são os principais sintomas do bruxismo?

Os sintomas mais característicos e comuns do bruxismo são desgaste da superfície dos dentes, amolecimento dos dentes e dor de cabeça.

Outros sintomas do bruxismo são dor e zumbido no ouvido, dor no pescoço, na mandíbula e nos músculos da face por conta do esforço realizado pelos músculos da mastigação. Além disso, pode-se observar estalos ao abrir e fechar a boca, bem como alterações do sono.

Em casos mais graves, pode ocorrer uma limitação de abertura da boca e problemas relacionados ao funcionamento inadequado da articulação temporomandibular, responsável por ligar a mandíbula ao crânio.

4. Qual é a causa do bruxismo?

O bruxismo não possui uma causa definida, já que alguns fatores podem desencadear o problema, atuando sozinhos ou em conjunto. No entanto, o bruxismo pode acontecer devido a fatores genéticos, neurológicos ou respiratórios, como ronco e apneia do sono, além da má oclusão. Além disso, o bruxismo também pode estar relacionado com fatores psicológicos, como estresse, ansiedade ou tensão.

5. Qual é o tratamento para o bruxismo?

Os recursos mais indicados para o tratamento do bruxismo é o uso de placas oclusais interoclusais rígidas de acrílico, também conhecidas como placas miorrelaxantes. As referidas placas são elaboradas após a realização de moldagem personalizada da arcada dentária do paciente.

Essas placas ajudam a restringir os movimentos dos músculos mastigatórios e a reduzir o atrito que provoca o desgaste e o abalo dos dentes. Além disso, se houver necessidade, é indicada a prescrição de medicamentos para relaxar e dormir melhor, evitando a pressão ou o ranger de dentes durante o sono. Pode, também, o profissional sugerir formas de reduzir o estresse e, portanto, o nível de bruxismo.

Outra opção de tratamento para o bruxismo é a aplicação de toxina botulínica. A toxina botulínica age diminuindo temporariamente a força e a intensidade da atividade de contração muscular, ajudando no tratamento e controle do bruxismo. O músculo masseter e o temporal são  os músculos responsáveis pelo fechamento e apertamento da mandíbula. Em pessoas com bruxismo, esses movimentos ocorrem em parafunção, ou seja, fora da mastigação e com intensidade muito elevada. A aplicação de toxina botulínica nesses músculos alivia muito a força excessiva que a pessoa faz quando range os dentes.

Ainda, outra opção normalmente indicada pelo profissional é o ded adotar o tratamento multidisciplinar, como o acompanhamento psicológico em casos em que componentes emocionais são a causa para o bruxismo, como o estresse ou a ansiedade.

6. O bruxismo tem cura?

Infelizmente, o bruxismo não tem cura, mas possui tratamento. O objetivo do tratamento do bruxismo é o de minimizar ao máximo os possíveis impactos que ela possa causar como fraturas, doenças periodontais, sensibilidade dentária, mobilidade dos dentes e até mesmo problemas na articulação temporomandibular (ATM). Sendo assim, apesar de não ter cura, é possível controlar o problema do bruxismo por meio de tratamentos indicados por um profissional especialista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima